maio 18 2022 0Comment
Cachorro no sofá junto com sua dona

Saiba como lidar com pets em condomínios

Pets em condomínios necessitam de muito cuidado por parte dos tutores e também dos síndicos. Pois, pela boa convivência, é necessário se atentar em alguns aspectos.

Uma companhia para todos os momentos, os animais de estimação já fazem parte da família. Eles estão presentes na maioria das casas e, consequentemente, nos condomínios.

O STF decidiu em 2019 que animais de estimação não podem ser proibidos em condomínios. E, cada vez mais, surgem leis que amparam os bichinhos.

Por exemplo, uma nova lei obriga síndicos de condomínios residenciais e comerciais a denunciarem maus-tratos contra animais de estimação.

Contudo, apesar da permissão de pets em condomínios, os donos devem ter em mente que os cuidados do animal dependem dele.

Isso causa muita discussão, porque há moradores que não prestam os cuidados básicos dos animais, os deixando estressados e até mesmo tristes.

E em que isso reflete? Na convivência com os moradores. 

Mas calma que chegaremos lá, continue o texto para entender melhor.

Os cuidados dos donos com pets em condomínios 

Gato, cachorro, coelho, independente. Todos precisam de cuidados especiais para que isso não afete seu estado emocional.

Itens obrigatórios que todo dono de pet deve fazer sempre:

  • Levar para passear;
  • Levar no veterinário frequentemente;
  • Coletar a sujeira do animalzinho;
  • Vacinar;
  • Passar um tempo de qualidade;
  • Participar de brincadeiras com ele.

Todos esses itens garantem uma boa qualidade de vida do pet, que também merece o melhor, não é?

Contudo, por que a Zangari tá falando tudo isso? Porque o condomínio tem um papel importante nesse setor para ajudar os donos, os bichinhos e a vizinhança.

Mas calma, que vamos ajudar você, síndico, a reforçar esses cuidados.

Como o síndico pode colaborar com os pets nos condomínios?

Animais de condomínios é uma realidade e um desafio dos síndicos na sua gestão condominial.

Antes de mais nada, saiba que independente de você gostar ou não, vários moradores podem ter eles em casa. Sendo assim, uma das suas funções é contribuir para a boa convivência entre os moradores e isso envolve colaborar com seus animais também.

Porém, para guiar sobre o que fazer, nós preparamos algumas dicas.

Deixe claro o regimento interno

O regimento interno funciona como Lei que os moradores daquela dependência devem seguir. E assim como eles têm direito também tem deveres.

Sendo assim, estabeleça alguns regras sobre a transição dos pets nos condomínios.

Como por exemplo:

  • O pet só poderá transitar com coleira ou gaiola nas áreas comuns;
  • O dono deve utilizar o elevador de serviço quando estiver com o bichinho;
  • Sempre recolha as fezes do seu animal;
  • Não deixe o animal sozinho nas áreas comuns.

Esses são os principais, mas os casos podem variar a depender da espécie do animal, por exemplo.

Conscientize os moradores

Acima de tudo, a comunicação com os moradores sempre deve ser constante e clara. 

Por isso, sempre que possível, relembre dos cuidados que eles devem manter com os animaizinhos, explicando como isso melhora a convivência com os moradores.

A comunicação vai ajudar a prevenir conflitos no futuro por questões como latidos, sujeiras e circulação.

Esteja sempre atento

Sobretudo, se perceber que os moradores estão reclamando muito de barulho de latidos, miados e outros, converse com o dono do pet para entender o que pode estar acontecendo.

Então, assegure-se que os moradores estejam seguindo os cuidados necessários dos bichinhos.

Segurança

A segurança condominial é um dos fatores principais para se atentar. Tem moradores que precisam da presença deles para se locomoverem, como casos de cães-guias. 

Então, como seu condomínio está garantindo que nada aconteça com eles?

Por isso, assegure-se que, além de garantir um ambiente seguro aos moradores, seu condomínio proteja as áreas comuns para os pets também.

Conscientize os moradores quanto ao uso de telas e grades de proteção nas janelas.

Pets em condomínios não precisam ser causa de grandes incômodos. Basta que, em conjunto, moradores e síndicos tenham consciência de que todos podem ter uma boa convivência se seguirem alguns caminhos.


Quer saber mais informações úteis como essa? A Zangari tem um blog repleto de dicas condominiais para você. Dê uma olhada.

zangari

Mais do que administrar seu patrimônio. Cuidamos do seu bem estar.

Write a Reply or Comment