janeiro 10 2019 0Comentários
Dicas para negociar melhor

6 Passos para negociar melhor com condôminos e vizinhos

6 Passos para negociar melhor com condôminos e vizinhos

Negociamos o tempo todo. Seja para aprovar um novo projeto no trabalho, escolher com os filhos a programação do final de semana, ou para o síndico resolver problemas do condomínio, não há como deixar de negociar diariamente.

Ainda que algumas pessoas tenham um talento natural para negociações, o fato é que todo mundo pode se tornar um melhor negociador aplicando algumas técnicas básicas que compartilhamos neste post com você.

1)    Tenha um objetivo bem definido em mente

É importante ter um objetivo definido na sua cabeça antes de se comunicar com a outra parte. Quer reduzir o valor da proposta de pintura da fachada em 15%? Precisa que o reparo da piscina esteja pronto até o final de semana? Sem um objetivo claro, a negociação pode se arrastar ou mesmo chegar a um mau acordo.

2)    Aprenda a ouvir primeiro

À primeira vista, todos achamos que prestamos atenção no que outra pessoa nos fala. Mas será que isto é verdade mesmo? Quantas vezes no final de uma conversa você não conseguia lembrar do que lhe disseram?

Uma das primeiras qualidades de um bom negociador é ser um bom ouvinte. Escutar com atenção o que é dito, entender o cenário geral e reter os detalhes mais importantes. E no caso de ter que intermediar desentendimentos de condôminos, o ideal é ouvir um de cada vez primeiro, para só então sentar-se com todos os envolvidos.

3)    Saiba diferenciar o “eu preciso” do “eu quero”

É importante você saber aquilo que não pode ficar sem – o “eu preciso”, daquilo que você poderia abrir mão se obtiver algo interessante em troca – o “eu quero”. Você pode, por exemplo, aceitar pagar um preço um pouco maior por um reparo urgente que não pode deixar de ser feito. O segredo é ser firme com o “eu preciso” e ser mais maleável com o “eu quero”.

4)    Tenha em mente o que pode abrir mão

Tente identificar antecipadamente o que cada parte poderia abrir mão. Por exemplo, se o filho de um condômino toca bateria e a filha de outro se incomoda com o barulho porque precisa estudar, você poderia prever que uma troca de horário na prática do instrumento poderia resolver a questão para todos.

5)    Procure soluções ganha x ganha

Evite chegar a um acordo que só é bom para uma das partes, pois a outra parte acabará se sentindo lesada e poderá não querer negociar novamente no futuro. Um bom acordo é aquele em que todos saem ganhando.

6)    Documente o acordado

Nos casos em que a negociação envolva a entrega de serviços e pagamentos de valores, é fundamental deixar documentado o serviço a ser executado (detalhando ao máximo seu escopo e quando deve ser terminado), os valores envolvidos e quando estes serão pagos. Também é importante deixar claro as punições caso uma parte não cumpra com o que prometeu.

Seguindo estes seis passos simples temos certeza que você conseguirá negociar bem melhor com vizinhos, condôminos e fornecedores. E você, tem alguma dica para nos dar a este respeito? Algo que já tenha tentado e funcionou? Compartilhe nos comentários.

Fonte: ZANGARI

zangari

Mais do que administrar seu patrimônio. Cuidamos do seu bem estar.

Escreva um Comentário