janeiro 31 2019 0Comentários
Bicicletário em condomínios

Bicicletários em condomínios

Temos notado que o uso de bicicletas como meio de locomoção nos grandes centros urbanos tem sido cada vez mais incentivado. Além de meio de transporte barato, não poluem o ar e podem ajudar no trânsito caótico das grandes cidades, principalmente em deslocamentos não muito longos.

Mas como guardar as bicicletas nos condomínios?

Em São Paulo, os bicicletários são obrigatórios por lei em novos condomínios desde 2012. Para edifícios mais antigos, podem ser criados se aprovados em assembleias condominiais, desde que observada a maioria simples para o caso de não interferirem nas áreas comuns, e um quórum de 2/3 dos presentes nos casos em que impactem nestes espaços, desde que observado os quóruns qualificados que variam de acordo com o espaço a ser utilizado, podendo variar de maioria simples, até unanimidade dos condôminos.

Depois de ter sua criação aprovada, é importante estabelecer um regulamento que defina direitos e deveres para o uso do bicicletário. Uma boa ideia é fazer um levantamento periódico de quais bicicletas estão guardadas nestes espaços e a quem pertencem e avisar aos proprietários quando suas bicicletas precisarem de limpeza ou manutenção, evitando que o espaço se torne um depósito de bicicletas abandonadas.

Quanto a forma de organização desses espaços, existem diversas soluções no mercado, que variam desde suportes presos no chão para condomínios com maiores espaços disponíveis, e até ganchos que podem ser fixados nas paredes para os casos em que a área reservada para esta finalidade é mais limitada.

Vale também ressaltar que estes locais e seus acessos devem estar bem demarcados e iluminados, principalmente se dentro de garagens ou perto das áreas de circulação de carros.

Tomando os cuidados necessários, seu condomínio não terá problemas e o meio ambiente e seu bolso agradecerão.

Fonte: ZANGARI

zangari

Mais do que administrar seu patrimônio. Cuidamos do seu bem estar.

Escreva um Comentário